Projetos de Pesquisa

 

Para conheceremos os Projetos de Pesquisa em funcionamento no PPGCL, clique nos nomes dos Docentes que coordenam os Projetos no Programa.

 

 
 

Projeto(s) Coordenado(s) pela Profa. Dra. Eni de Lourdes Puccinelli Orlandi

 

TÍTULO

MATERIALIDADE DA IDEOLOGIA E SEUS EFEITOS NAS PRÁTICAS DISCURSIVAS, NOS SUJEITOS E NO IMAGINÁRIO SOCIAL

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2018

 

DESCRIÇÃO

Trata-se de uma pesquisa que visa compreender como fatos políticos de conjuntura extremamente fortes - como uma ditadura - produz efeitos ideológicos não só em práticas discursivas como também na formação social em seu imaginário e em sua existência cotidiana afetando os sujeitos em sua vida, que, por enquanto, vamos chamar de pessoal: separações de casais, mudança de profissão, mudança de país, mudança de objetivos de vida etc. Desse modo, queremos mostrar que não é só o inconsciente que funciona no sujeito em seus efeitos mas também a ideologia atinge a psique.

 

CONTATO

enip@uol.com.br

 

PARTIPANTES

ANDRE SILVA BARBOSA – Discente externo

ATILIO CATOSSO SALLES – Docente (PPGCL-Univás)

GRECIELY CRISTINA DA COSTA – Docente externo (Labeurb-Unicamp)

TÍTULO

NAS FRONTEIRAS DA LINGUAGEM, A INDISTINÇÃO: PRÁTICAS SIGNIFICATIVAS, IMAGINÁRIO E VIDA SOCIAL (DA VIOLÊNCIA E DA RESISTÊNCIA)

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2015

 

DESCRIÇÃO

Considerando a distinção entre o que se chama de movimentos sociais (organização da ordem do imaginário) e o que chamo de movimentos da/na sociedade (ordem do real social), visamos compreender a distinção instável dos sentidos de violência e de resistência. Limites difusos, abertos, indecisos. Para tal, refletiremos sobre noções como a de sujeito, de denominação, de sentidos, de equívoco, de silêncio e silenciamento, de esquecimento, de memória e de narratividade (E. Orlandi, 2001, 2013), e trabalharemos discursivamente a ressignificação do que se acantoa, no discurso sociológico, como relações sociais, indivíduo, sociedade, cultura, comunidade. Desse modo, noções como as de delinquência, criminalidade, protesto, rebeldia, vandalismo, contestação, marginalidade, terrorismo, e outras, vão ser pesquisadas e atualizadas pela tomada em consideração do que seja discurso, e seus modos de constituição, formulação e circulação (E. Orlandi, 2001), no mundo contemporâneo. Interessa-nos compreender, nas fronteiras da linguagem, o movimento de sentidos pelo qual se constituem gestos que podem significar desde resistência até aqueles em que não se pode deslindar onde acaba uma e começa a outra: resistência ou violência? Seriam diferentes faces do mesmo? Que condições produzem um processo de denominação ou outro? Como são discursivamente construídos estes referentes? Em que imaginário se sustentam? Mais uma volta na relação sujeito/sentido/ideologia.

 

CONTATO

enip@uol.com.br

 

PARTIPANTES

ALLAN S. KERN – Discente externo

CRISTIANE PEREIRA DIAS – Docente externo (Labeurb-Unicamp)

DÉBORA RAQUEL MASSMANN – Docente (PPGCL-Univás)

LUCIANA NOGUEIRA – Docente (PPGCL-Univás)

STELLA MARIS RODRIGUES SIMÕES – Discente (PPGCL-Univás)

TÍTULO

VOZES E FORMAS DO TEXTO EXPOGRÁFICO: CRUZAMENTO DE ENCONTROS E LEITURAS

Convênio de Cooperação com a UNITO - Universidade de Turim (Itália)

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2015

 

DESCRIÇÃO

O projeto tem como objetivo analisar textos expográficos que circulam em museus da cidade de Turim, São Paulo e de outras cidades do Brasil (museus históricos, etno-antropológicos, de arte moderna e contemporânea). Enquanto textos presentes no espaço institucional, os textos expográficos se constituem como textos de poder social, reveladores de políticas e objetivos econômicos ligados ao território, às tradições, ao contexto sócio-histórico. Trata-se de textos de mediação, visando à promoção do intercâmbio entre visitantes, contribuindo para a formação de opinião individual e coletiva. Este campo de estudo, bastante recente na França, certamente inovador na Itália e talvez no Brasil, pode tornar-se um terreno fértil para a análise de discurso. Para além dos aspectos linguísticos e retóricos que o tornam um tipo de discurso vigoroso, é possível a partir do texto expográfico dar visibilidade a diferentes representações, tensões, conflitos, estereótipos, mitos, referências literárias que têm impacto na percepção do visitante-reader da sociedade brasileira ou italiana, da cidade e dos seus cidadãos. O projeto tem, portanto, como principal objetivo a análise teórica e empírica do texto expográfico e pretende oferecer uma reflexão inédita sobre a sua importância social, simbólica e política sob uma perspectiva plurilinguística e pluricultural graças à diversidade de línguas-culturas concernidas (brasileiro, francês, italiano, português). Resta ainda dizer da importância de trabalhar os Museus como instituições de memória discursiva que produz efeitos na individuação dos sujeitos, através de sua textualização.

 

CONTATO

enip@uol.com.br

 

PARTIPANTES

ALESSANDRA NOGUEIRA FERNANDES – Discente (PPGCL-Univás)

ALESSANDRA MELLO – Discente (PPGCL-Univás)

ANDRÉA DA SILVA DOMINGUES – Docente (PPGCL-Univás)

ANTONIO JOSÉ GOMES FOURNIER (UNITO, Depto. de Língua e Literatura estrangeira e cultura moderna - Língua e tradução - Língua portuguesa e brasileira)
ATILIO CATOSSO – Discente (PPGCL-Univás)

DÉBORA RAQUEL MASSMANN – Docente (PPGCL-Univás)

EDUARDO ALVES RODRIGUES – Docente (PPGCL-Univás)

FRANÇOISE RIGAT (UNITO, Departamento de Cultura, Política e Sociedade - Língua e tradução - Língua francesa)

GUILHERME BERALDO – Discente (PPGCL-Univás)

GRECIELY CRISTINA DA COSTA – Docente (PPGCL-Univás)

JOSÉ CONTÍGIO RODRIGUES DE ALCÂNTARA ABBADE JR. – Discente (PPGCL-Univás)
JULIANA CAVALLARI – Docente (PPGCL-Univás)

MARIA MARGHERITA MATTIODA (UNITO, Depto. de Língua e Literatura estrangeira e cultura moderna - Língua e tradução - Língua francesa)
MATTEO REY (UNITO, Depto. de Literatura portuguesa e brasileira)

ORIETTA ABBATI (UNITO, Depto. de Língua e Literatura estrangeira e cultura moderna - Literatura portuguesa e brasileira)

TATIANA B. SOUSA – Discente (PPGCL-Univás)

TÍTULO

A CASA E A RUA: UMA RELAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2015

 

DESCRIÇÃO

Na base da reflexão sobre a divisão do espaço na cidade está a relação entre a casa e a rua. Em torno delas se organizam relações, se organizam sentidos, se organizam sujeitos. Nosso objetivo é trabalhar com a relação social e política que se estabelece em diferentes condições entre a casa e a rua para, por aí, pensarmos os sujeitos e seus modos de vida, seus processos de significação que são interpretados pelo par público/privado, no espaço organizado, mas sujeito a diferentes interpretações quando pensamos no espaço real de constituição dos sentidos. A intimidade, a sociabilidade, a hostilidade, a ruptura, a segregação, a memória, o movimento, o equívoco, a contradição estarão nos ocupando nessa nossa observação. O que é "sentir-se em casa"? O que é ser "menino de rua"? O que é ser proprietário? O que é ser morador/inquilino? O que é ser cidadão legítimo? O que é ser favelado? São esses sentidos que queremos interrogar, deslocar, compreender, pensando a relação do indivíduo (sujeito individuado) com a sociedade. Para isso, vamos procurar explicitar a mediação que aí exercem os sentidos de casa e de rua.A partir deste projeto temos colaborado com atividades do E.Urbano, coordenado por Cristiane Dias e com o projeto Enciclopédia Discursiva da Cidade coordenado por José Horta Nunes do Labeurb/Unicamp. São muitas as publicações, participações em congressos e orientações de dissertações e teses que resultam deste projeto. Alargamos este projeto em sua solidariedade à questão que orienta um nosso outro projeto, pensando agora a indistinção de sujeitos e sentidos, neste caso, afetados pelo espaço urbano. Daí interrogarmos o que são relações sociais, grupos sociais, comunidades, população e outras noções afins.

 

CONTATO

enip@uol.com.br

 

PARTIPANTES

ANDRÉ SILVA BARBOSA – Discente egresso (PPGCL-Univás) 
MARCOS AURÉLIO BARBAI – Docente externo (LABEURB-UNICAMP) 
FABIANE DE JESUS – Pós-Doutorando externo (IEL-UNICAMP)
FREDERICO CAMPEAN – Discente externo (IEL-UNICAMP)

TÍTULO

MATERIALIDADE DO SUJEITO, CORPO E SENTIDO

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2014

 

DESCRIÇÃO

Relacionando sujeito/corpo/linguagem e sociedade visamos compreender como o corpo, pensando-se a materialidade do sujeito, sua historicidade, é significado em um ou outro espaço que lhe é destinado, considerando que o espaço é investido de sentidos. Como se constituem seus processos de significação (interpelação, individuação, identificação), considerando os homens como seres simbólicos e histórico-sociais, pensando-se o interdiscurso e sua relação ao espaço. Como, em sua materialidade, os sujeitos textualizam seu corpo pela maneira mesma como estão nele, se deslocam: corpos em trânsito, corpos encarcerados, corpos banidos, corpos segregados. Corpos legítimos. Corpos integrados. Corpos fora de lugar. O comum, o normatizado, o hegemônico. O corpo do rico e o do pobre. Observaremos as distintas formas como o corpo significa, se textualiza, circula, pela existência de significantes distintos, sendo o homem um sujeito que interpreta e é interpretado. Finalmente: qual é a relação do corpo com a ideologia?Que relação se pode compreender que existe entre ideologia e inconsciente quando se pensa a materialidade do sujeito, seu corpo e o sentido?Vários artigos publicados, participações em congressos e também um livro sobre o tema foi publicado com resultados da pesquisa do grupo.

 

CONTATO

enip@uol.com.br

 

PARTIPANTES

ALLAN STROTTMANN KERNN – Discente egresso (PPGCL-Univás)
ANDRÉ SILVA BARBOSA – 
Discente externo (IEL-UNICAMP)

FREDERICO ANTONIO PEREIRA CAMPEAN – Discente externo (IEL-UNICAMP)

GABRIEL DE PAIVA ROSA GASPAR – Discente externo (UNIVÁS)

GUILHERME MARQUES PEREIRA – Discente (PPGCL-Univás)
LIDIA NORONHA PEREIRA – Discente (PPGCL-Univás)
LÍGIA CALDONAZO CARDOSO – Discente egresso (PPGCL-Univás)
MAICON FERNANDES DE PAIVA – Discente externo (UNIVÁS)
MARCOS FUZATTO FERREIRA – Discente (PPGCL-Univás)
NEWTON GUILHERME CARROZZA – Docente (PPGCL-Univás)
RENATA CHRYSTINA BIANCHI DE BARROS – Docente (PPGCL-Univás)
TATIANE FREITAS DE SOUZA – Discente (PPGCL-Univás)

WEDENCLEY ALVES SANTANA – Docente externo (UFJF)

TÍTULO

SAINDO DO LUGAR E DESLOCANDO SENTIDOS: A RELAÇÃO IMIGRAÇÃO/COLONIZAÇÃO NOS VOLTEIOS DA NARRATIVIDADE

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Língua e Ensino

VIGÊNCIA

Desde 2015

 

DESCRIÇÃO

Nosso tema é constituído pela compreensão dos discursos da imigração, e da colonização, em presença, produzindo sentidos, a partir da análise do funcionamento da memória, vinculada ao corpo e aos sujeitos, que saem do lugar, que se deslocam, em um trajeto em que (se) partem e chegam em “outro” lugar. Dessa forma, estamos constituindo um corpus em que vamos privilegiar o que chamamos narratividade no funcionamento da memória. Este é, pois, nosso modo de acesso à estrutura e funcionamento da memória (tanto a que chamamos constitutiva como a institucional). Para tal, além dos materiais que já temos licitados sobre a colonização, e também os que buscaremos em arquivos, já contamos com cartas, textos, livros, bilhetes, matérias de jornal, que dizem a imigração (italiana e de outros lugares) no Brasil. Narratividade tomada, aqui, na constituição do corpus, como textualização da memória, ou seja, trabalharemos com a relação texto/memória. Ressaltamos aqui, sobre a natureza do corpus, nosso interesse particular por lendas e outras formas narrativas (boatos, comentário, opiniões etc) ? no sentido em que as tomamos no funcionamento da memória. Acresce-se a este interesse o fato de que tratamos os Museus, eles mesmos, como nossos objetos de análise. Ainda tratando do quadro de referência teórico-metodológico, e dos materiais que pretendemos juntar a estas reflexões, interessa-nos o que diz M. de Certeau a respeito da Cultura no Plural (1974), em sua pesquisa sobre o momento em que as tradições se fraturam e rivalizam, e a lucidez cambaleia, sendo necessário interrogarem-se os caminhos obscuros - não para julgar ou para designar o campo da verdade (Luce Giard, 1974), mas para aprender do passado - como um grupo social atravessa a derrota de suas crenças e consegue tirar proveito das condições impostas, para inventar sua liberdade, se arrumar um espaço em movimento (E. Orlandi, 2014ª, grifo nosso). É esta a perspectiva pela qual visamos estudar a imigração em geral (tendo, em nosso caso, a italiana, em sua base), colocando-a na perspectiva em que podemos aliar a ela os efeitos da colonização. Não através de uma olhada nostálgica, ou de um recuo, nem de uma história só de arquivos. Mas como movimento de sentidos, silêncios, historicidade, caminhos obscuros, insensatez, invenção e derrotas, e rupturas. Resistências, deslocamentos, turbulência e apagamentos. Nossa busca em arquivos, não é a de uma carcaça cristalizada, mas de momentos de elaboração, no que foge, no que exige uma escuta como a da análise de discurso que pratico. E aí tanto o mesmo como o diferente rivalizam. Como dissemos, mais acima, além destes materiais concernentes à imigração, também os da narratividade da colonização nos interessam, em nossas análises. E uma figura memorial que estaremos colocando em nossa mira: o(s) Museu(s).

CONTATO

enip@uol.com.br

 

PARTIPANTES

ALESSANDRA NOGUEIRA FERNANDES – Pesquisadora externa
ANDRÉ DA SILVA BARBOSA – Discente externo
ANDRÉA DA SILVA DOMINGUES – Docente (PPGCL-Univás)

JULIE KELLEN DE CAMPOS BORGES – Docente externo (IFB/Riacho Fundo)
MARIA NICOLAU – Discente (PPGCL-Univás)

STELLA MARIS RODRIGUES SIMÕES – Discente (PPGCL-Univás)

 

Projeto(s) Coordenado(s) pela Profa. Dra. Andrea Silva Domingues

 

TÍTULO

LINGUAGEM, SOCIEDADE E HISTÓRIA

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2016

 

DESCRIÇÃO

O projeto apresentado é desenvolvido a partir de um convênio do Grupo de Pesquisa “Discurso, Sentidos e Sociedade” (DISENSO) do Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem da UNIVÁS com a UFPA – Campus Universitário do Tocantins-Cametá, no qual propomos refletir sobre o funcionamento da linguagem na sociedade, sobretudo no que concerne aos discursos das e sobre as minorias, sendo esta a questão central que orienta os objetivos, as ações e as reflexões que serão desenvolvidas pelos pesquisadores no âmbito deste projeto. Com o objetivo de historicizar os modos de significar as minorias em suas diferentes acepções e de compreender preconceitos e discriminações que afetam uma parcela significativa da sociedade, a presente pesquisa volta-se para a investigação e compreensão de diferentes discursos que circularam na história de nossa sociedade. Trata-se, pois, de analisar, através do funcionamento da linguagem, processos de identificação, estigmatização e discriminação que instalam e afetam as minorias sociais bem como as políticas públicas implantadas na direção desses processos, seja para homologá-los, seja para inibi-los. Toma-se assim como objeto de estudo os discursos políticos, sociais (jornalísticos, históricos, midiáticos) e jurídicos que, direta ou indiretamente, colocam em funcionamento dizeres sobre as minorias tanto em relação àquelas descritas, historicamente, como grupos marginalizados devido aos aspectos econômicos, sociais, culturais, físicos ou religiosos, quanto àquelas que atualmente tem sido designadas como novas minorias, a saber, homossexuais, mulheres, idosos, imigrantes e pessoas que não possuem domicílio fixo.

 

CONTATO

andrea.domingues@gmail.com

 

PARTIPANTES

DORIEDSON SOCORRO RODRIGUES – Docente externo (UFPA) – Pesquisador Corresponsável
ALESSANDRA MARA ROSA MELLO – Pesquisadora externa
BÁRBARA DE NAZARÉ PANTOJA RIBEIRO- Discente Externo (PPGEDUC-UFPA)
BENEDITA CELESTE DE MORAES PINTO – Docente externo (UFPA)
BRUNA DE FÁTIMA BRITO – Discente (PPGCL-Univás)
CLEYTON ANTONIO DA COSTA – Discente (PPGCL/Univás)

FRANCISCO ANTONIO ROMANELLI – Discente (PPGCL/Univás)
JOSÉ AMILTON DE SOUZA – Docente externo (UNIFESSPA)

MAIRON TEOTÔNIO BRANDÃO – Discente (Graduação/Univás)
MARCIENE DA SILVA VIEIRA – Discente (Graduação/Univás)
MARILDA DE CASTRO LARAIA – Docente (PPGCL/Univás)

TÍTULO

FESTA DE CONGADA: O PROCESSO INDETITÁRIO DO SUJEITO CONGADEIRO(A) DO VALE DO SAPUCAÍ-MINAS GERAIS

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2015

 

DESCRIÇÃO

O O festejo de congada é um acontecimento discursivo que está inserido na memória histórica do sul de Minas Gerais. Entendemos que toda a memória histórica foi construída a partir de uma formação discursiva e dentro de condições de produção específicas de determinados grupos sociais, fruto, portanto de gestos de leitura, podendo estes ser observados num corpus de análise composto de documentos como livro de atas, obras memorialistas, documentos eclesiásticos, narrativas orais, com efeitos de sentido que nos remetem ao discurso fundador. Propomos neste projeto pesquisar o processo de construção e significação do sujeito congadeiro e congadeira, que se (re) significam nos festejos religiosos, denominados neste estudo de festejo de congada, em cidades do Vale do Sapucaí no Sul de Minas Gerais, observando as diferentes formações discursivas presentes no festejo e como estas se significam no processo de construção identitária de homens e mulheres do tempo presente.  Procuramos, compreender como se dão os processos de produção de sentidos e de identificação presentes neste espaço/região da sociedade brasileira em que se move também a memória.

 

CONTATO

andrea.domingues@gmail.com

 

PARTIPANTES

ALESSANDRA MARA ROSA MELLO - Discente (PPGCL-Univás)
BRUNA BRITO – Discente (PPGCL-Univás)
CLEYTON ANTONIO DA COSTA – Pesquisador externo (UNIVÁS)
IVAN TEODORO MARQUES – Docente externo (UAITEC-Pouso Alegre)
JOSÉ AMILTON DE SOUZA – Docente externo (UNIFESSPA)
MAIRON TEOTÔNIO BRANDÃO – Discente externo (UNIVÁS) 
MARILDA CASTRO LARAIA – Discente (PPGCL-Univás)
RAFAELA VIDEIRA VENÂNCIO – Discente externo (UNIVÁS)

 

Projeto(s) Coordenado(s) pela Profa. Dra. Atilio Catosso Sales

 

TÍTULO

LÍNGUA(GEM) E PERFORMANCE

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2018

 

DESCRIÇÃO

Trata-se de uma pesquisa que deseja compreender o processo de produção dos sentidos inscritos em discursividades das relações sujeito/corpo/língua e(m) arte. O corpus da pesquisa será constituído de“performances” (SALLES, 2017) em “circulação” (ORLANDI, 2001) em diferentes práticas discursivas na sociedade e na história: uma visita ao museu, assistir a uma peça de teatro, participar de uma performance, compor uma música ou um poema. Interessa, assim, compreender o corpo brasileiro (na música, no teatro, no cinema, na poesia), e, mais especificamente, analisar como os sentidos sobre corpo/língua/ambiência na arte são produzidos enquanto “presença virtual”, sentidos divididos, em disputa, o político e as relações de poder que se inscrevem em nosso cotidiano. Tomamos a noção de “presença virtual”, no sentido de a possibilidade do “discurso outro” (PÊCHEUX, 2008) se presentificar em relação às evidências de sentidos na contemporaneidade. Estamos compreendendo ambiência como o cenário da “performance”. O performativo e a performatividade no funcionamento da performance (SALLES, 2017), tomados no campo das ciências da linguagem, serão nossa questão teórica-analítica de pesquisa em relação à constituição do sujeito, o brasileiro hoje..

 

CONTATO

atiliocs@gmail.com

 

PARTIPANTES

LEONARDO JOSE ROCHA SILVEIRA – Discente (PPGCL-Univás)
NATALY DE FATIMA SANTOS – Discente (Graduação-Univás)
TAISA MARA TOLEDO – Discente (PPGCL-Univás)

 

Projeto(s) Coordenado(s) pela Profa. Dra. Débora R. H. Massmann

 

TÍTULO

DISCURSO, SENTIDO E SOCIEDADE (DISENSO)

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2014

 

DESCRIÇÃO

Projeto de pesquisa vinculado ao Grupo de Pesquisa de mesmo nome, coordenado pela Dra. Débora Massmann, do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem, em parceria com o curso de graduação em História da Univás. Neste projeto, propõe-se pensar questões da diversidade, como, por exemplo, senso comum, preconceito, feminismo, homofobia, racismo, políticas públicas, inclusão, entre outros assuntos que toquem, direta ou indiretamente, a questão da "diferença" na sociedade contemporânea. As reflexões produzidas no Disenso utilizam com fundamentação teórica a Análise de Discurso e a Semântica Histórica da Enunciação.

 

CONTATO

debora.massmann@gmail.com

 

PARTIPANTES

AADRIANA MORAES – Discente (PPGCL-Univás)
ANDREA DOMINGUES – Docente (PPGCL-Univás)
DANIELLE PAIVA – Discente egresso  (PPGCL-Univás)
GUILHERME BERALDO – Discente (PPGCL-Univás)
JULIANO PENA – Discente (PPGCL-Univás)
KLENIA LAGO CATANHEDE – Discente (PPGCL-Univás)
PATRÍCIA BRASIL – Discente externo (Mackenzie-SP)
TATIANA B. SOUZA – Discente (PPGCL-Univás)

TÍTULO

DISCURSO E MEMÓRIA: VERSÕES CONTROVERSAS NA LEITURA DE ARQUIVO

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2017

 

DESCRIÇÃO

Quando visitamos um museu, somos levados a pensar, a refletir e, muitas vezes, a(nos)questionar sobre aquele conjunto de artefatos simbólicos que compõem o museu. Estou entendendo aqui como artefatos simbólicos o próprio espaço (museu X ou Y) e todos aqueles materiais que compõem um museu: quadros, fotografias, áudios, vestimentas, maquetes, utensílios, mapas, etc.. Então, para mim, os museus são espaços de produção de sentidos porque, à medida que nos deparamos com os artefatos simbólicos presentes nos museus, somos interpelados por eles e, nesse processo, colocamos em funcionamento gestos de leitura. Consequentemente, somos levados a interpretar o museu e os sentidos produzidos nele, por ele e para ele. Não podemos esquecer que, como destacou Orlandi, somos individuados pelo Estado através de instituições e discursos. Isso significa que os gestos de leitura e de interpretação que se produzem nesse espaço, que é o museu, não se dão ao acaso. Ao contrário, trazem consigo traços da memória discursiva do próprio indivíduo, do Estado, da Sociedade. Dizer que os museus constituem práticas de significação, ou ainda, espaços simbólicos de produção de sentidos significa pois questioná-los e analisá-los numa perspectiva discursiva: como espaço significante, como arquivo e como interdiscurso, isto é, memória discursiva. Nessa perspectiva, os museus se constituem na relação com o espaço em que estão localizados, com outras instituições da sociedade, com outros objetos simbólicos; comas condições de produção; e, sobretudo, na relação com o sujeito visitante. Trata-se pois de tomar os museus, em sua historicidade, como espaços institucionais, espaços simbólicos e políticos afetados pelas relações de poder e pela conjuntura sócio-histórica e ideológica. Nesse sentido, trabalhar aqui com versões controversas na leitura de arquivos implica pois considerar, como nos ensinou Orlandi, o museu nesta sua dupla designação: como instituição e como ?como parte do processo de produção de arquivos, ou seja,discursivamente, como discurso documental? (Orlandi, 2014, p.2). Este projeto foi iniciado em Janeiro de2017 e está vinculado ao Convênio de Cooperação Internacional, entre a Universidade do Vale do Sapucaí e a Universidade de Turim, intitulado "Vozes e formas do texto expográfico: cruzamento de encontros e leituras?" cujo objetivo é analisar textos expográficos que circulam em museus da cidade de Turim, São Paulo e de outras cidades do Brasil.

 

CONTATO

debora.massmann@gmail.com

 

PARTIPANTES

ANDREA SILVA DOMINGUES  – Docente (PPGCL-Univás)
FABIO AUGUSTO SILVEIRA – Discente (Graduação-  Univás)
HELLEN NARCISO AGUIAR CORDEIRO – Discente (Graduação - Univás
JULIANO DE OLIVEIRA PENA – Discente (PPGCL-Univás)
KLENIA MEIRELES CANTANHEDE LAGO – Discente (PPGCL-Univás)

MARIA GORETE FERREIRA – Discente (PPGCL-Univás)

PATRICIA CRISTINA BRASIL – Pesquisadora externa

TATIANA BARBOSA DE SOUSA – Discente (PPGCL-Univás)

 

Projeto(s) Coordenado(s) pela Prof. Dr. Eduardo Alves Rodrigues

 

TÍTULO

ESPAÇOS DE INTERPRETAÇÃO DIGITAIS: (EM)PODER(AMENTO), ARTE(S), SUBJETIVAÇÃO (FASE 1)

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso; Linguagem, Conhecimento e suas Tecnologias

VIGÊNCIA

Desde 2018

 

DESCRIÇÃO

Com este projeto, mobilizamos o quadro teórico-metodológico da Análise de Discurso, filiando-nos aos textos fundadores de Pêcheux e Orlandi e aos trabalhos daqueles que daí partem, para identificarmos e compreendermos movimentos de significação que se realizam nos sujeitos inscritos em percursos de subjetivação que se constituem, que se formulam e que circulam pelos espaços de produção de sentido que ganham algum contorno no e pelo digital, no e pelo eletrônico. Espaços, portanto, de (re)produção de gestos de interpretação determinados, sobretudo, pelo processo histórico e ideológico que regula funcionamentos próprios ao digital, ao eletrônico. Nesta primeira fase do projeto, prevista para ser desenvolvida entre 2018 e 2021, nosso interesse central recai sobre duas formas discursivas específicas que podem estar (ou não) de algum modo relacionadas: (1) por um lado, as formas de poder, e, por outro lado, (2) as formas de arte que se tornam possíveis (porque fazem/ganham sentido(s)) pelo modo como sua circulação, própria ao digital e aos espaços dele derivados, se faz prevalente (seguindo orientação de Cristiane Dias (2018)) relativamente ao processo de constituição e de formulação dos efeitos de sentido decorrentes do funcionamento dessas formas na sociedade contemporânea, regulada, por sua vez, pela metáfora da rede (cf. DIAS, 2009). Assim procedendo, analisaremos como o funcionamento discursivo dessas formas, ao inscreverem articulações possíveis entre o simbólico e o político, podem (ou não) inscrever, igualmente, formas de identificação/subjetivação. Dessa maneira, perscrutaremos o espaço prismático do digital com a seguinte pergunta: como o digital inscreve formas de poder e de arte determinando percursos de subjetivação? Em decorrência, alguns materiais se nos apresentam para o estabelecimento de recortes analíticos: aplicativos e plataformas de conteúdo; mídias e redes sociais on-line; formulações estampadas nas variadas telas que interfaceiam o modo como os sujeitos podem se significar e significar o mundo pelo digital, pela internet, pelo eletrônico.
Palavras-chave: discurso; poder; arte; digital; interpretação; subjetivação.

 

 

CONTATO

eduardoar76@gmail.com

 

PARTIPANTES

CARMEN LUCIA HERNANDES AGUSTINI – Docente externo (UFU) 

FREDERICO EUGENIO DE MAGALHAES COUTO – Pesquisador Egresso (PPGCL-Univás)

JEFFERSON SOUZA SANTOS – Discente (PPGCL-Univás)

JOÃO PEDRO MARTINS BATISTA – Discente (Grad. Univás)

JOSÉ CONTÍGIO RODRIGUES DE ALCÂNTARA ABBADE JR. – Pesquisador Egresso (Unifenas)

MALU MARIA DE LOURDES MENDES PEREIRA – Discente (PPGCL-Univás)

MARCOS ANTÔNIO DE OLIVAS – Discente (PPGCL-Univás)

PAULO ROBERTO MOREIRA MENDES – Discente (PPGCL-Univás)

TÍTULO

LINGUAGEM, CIDADE E POLÍTICAS SOCIAIS

Convênio de Cooperação com a UNEMAT (PPGL, Cáceres-MT)

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2016

 

DESCRIÇÃO

Este Projeto foi proposto para ser realizado no âmbito do Acordo Interinstitucional de Cooperação Acadêmico-Científica firmado entre a Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS - Pouso Alegre-MG) e a Universidade do Estado do Mato Grosso (UNEMAT - Cáceres-MT), por meio de equipes de pesquisadores constituídas de docentes e discentes dos Programas de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem (PPGCL-UNIVÁS) e Stricto Sensu em Linguística (PPGL-UNEMAT), respectivamente. O objetivo do Projeto é analisar e compreender os processos de constituição de identidades na história das cidades (Cáceres e Pouso Alegre), tomando como material de análises os discursos atuais sobre estas regiões, levando em conta o processo de configuração dessas regiões na relação com o processo de formação social que lhes é correspondente. A pergunta norteadora do desenvolvimento dos planos de trabalhos propostos pelos pesquisadores do Projeto é formulada da seguinte maneira: como se constituem as cidades aí concernidas – maiores e menores – em suas relações e como os sujeitos sociais estão aí envolvidos no processo citadino de significar-se e significar o espaço? Para responder a esta pergunta e alcançar o referido objetivo, os pesquisadores estabelecerão recortes de materiais que recubram diferentes períodos de história da sociedade e da cultura mato-grossense e sulmineira, de modo a construir uma reflexão de caráter discursivo (semântico) a partir de diferentes materialidades linguageiras que circularam e circulam no sudoeste de Mato Grosso e sul de Minas Gerais, a partir do século do XVIII. Entre os objetos e questões que se pretende compreender, destacam-se os seguintes: (1) presença do negro e da escravidão; (2) movimento relativo aos povos indígenas; (3) movimentos migratórios; (4) caracterização do processo de urbanização, do movimento de constituição e significação das cidades, com interesse particular pela categoria do citadino, na relação com as instituições, por exemplo, entre elas a escola; (5) os efeitos da globalização sobre a relação dos grupos sociais com a ocupação, com a vivência dos espaços historicamente constituídos; (6) as formas de organização social e das atividades econômicas (por exemplo, turismo, agronegócios, desenvolvimento tecnológico etc.); (7) relações de e entre línguas, culturas, instituições; (8) as diferentes narratividades que sustentam o pertencimento dos sujeitos às regiões mato-grossense e sul mineira; (9) políticas sociais; (10) manifestações literárias e festas populares; (11) processos de constituição de identidades a partir da materialidade digital (a cidade, os sujeitos e o digital).

 

CONTATO

eduardoar76@gmail.com

 

PARTIPANTES

ANA LUIZA ARTIAGA RODRIGUES DA MOTTA – Docente externo corresponsável (UNEMAT)

ANA MARIA DI RENZO – Pesquisadora externa (PPGL-UNEMAT)

FREDERICO EUGENIO DE MAGALHAES COUTO Pesquisador externo
JOELMA APARECIDA BRESSANIN – Pesquisadora externa (PPGL-UNEMAT)

JOSÉ CONTÍGIO RODRIGUES DE ALCÂNTARA ABBADE JR. – Discente (PPGCL-Univás)

JUCIELE PEREIRA DIAS – Docente (PPGCL-Univás)

MARCOS ANTÔNIO DE OLIVAS – Discente (PPGCL-Univás)

NEUZA B. DA SILVA ZATTAR – Pesquisadora externa (PPGL-UNEMAT)

RENATA C. BIANCHI DE BARROS – Docente (PPGCL-Univás)

TAISIR MAHAMUDO KARIM Pesquisador extern0 (PPGL-UNEMAT)
TELMA DOMINGUES DA SILVA – Docente (PPGCL-Univás)

 
 

Projeto(s) Coordenado(s) pelo Prof. Dr. Guilherme Carrozza

 

TÍTULO

ESTRATÉGIAS DISCURSIVAS DA PUBLICIDADE: A TEXTUALIZAÇÃO DA FELICIDADE EM ANÚNCIOS
PUBLICITÁRIOS DO BRASIL

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2018

 

DESCRIÇÃO

Ao tomarmos a publicidade como uma forma de linguagem que materializa discursos, é preciso considerar os mecanismos que sustentam o processo de individuação e identificação dos sujeitos que vem pelo próprio modo de funcionamento da forma-sujeito histórica atual. Uma das principais funções da publicidade é apresentar um produto para consumo. Dentro de uma definição bem simplificada, diríamos que sua função seria informar os consumidores sobre a existência de um produto disponível no mercado que, via de regra, visaria suprir uma determinada necessidade. Ao fazer isso, porém, a propaganda propõe ao consumidor determinados modos de ser/estar no mundo, com os quais o sujeito precisa lidar e para os quais ele acaba se direcionado, de uma forma ou de outra. Este estudo propõe, a partir de uma perspectiva discursiva, produzir uma análise dos modos como a felicidade é textualizada em anúncios publicitários no Brasil, considerando-a como um desses mecanismos de construção do real pela publicidade. Interessa-nos refletir sobre a relação entre sujeito e consumo, via publicidade, como forma de atingir a plenitude por uma promessa que nunca se realiza de fato. Numa sociedade pautada nas relações de troca, esse estudo contribui para a compreensão das relações sociais e do modo como a mídia intervém na vivência contemporânea

 

CONTATO

guilhermecarrozza@uol.com.br

 

PARTIPANTES

ALINE DE FATIMA CHIARADIA VALADAO – Discente (PPGCL Univás)

ANTONIO CARLOS LUMINATTO – Discente (PPGCL-Univás)

GUILHERME MARQUES PEREIRA – Discente (PPGCL Univás)

MARCOS FUZATTO FERREIRA – Discente (PPGCL Univás)
PABLO LUIZ MARTINS – Discente (PPGCL-Univás)

THAMIRES MAYARA PEREIRA – Discente (Graduação-Univás)

TÍTULO

ARTE, MÍDIA, TECNOLOGIA E CULTURA

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2018

 

DESCRIÇÃO

O Grupo de Pesquisa em Arte, Mídia, Tecnologia e Cultura (AMITEC) acolhe pesquisas que visam refletir sobre a produção e os efeitos de sentidos constituídos em práticas que abrangem a mídia, a arte e as tecnologias e que, ao produzirem o efeito comunicativo necessário ao viver em sociedade, constituem lugares de identificação entre os sujeitos. Nesse sentido, tanto as práticas quanto os instrumentos pelos quais se produzem tais fenômenos constituem tecnologias que afetam as relações entre os sujeitos e o modo como se produz e se estabelece a cultura de um povo, entendida como a memória posta em prática na articulação como simbólico. O projeto abrange, dessa forma, trabalhos que têm como foco as manifestações artísticas em suas diversas formas (artes plásticas, dança, narrativas, performances, música) e os produtos que circulam nas diferentes mídias, tanto convencionais, como aquelas produzidas pelas novas tecnologias,relacionando-os com o viver em sociedade no mundo contemporâneo.

CONTATO

guilhermecarrozza@uol.com.br 

 

PARTIPANTES

LUCIANA COUTINHO PAGLIARINI DE SOUZA – Pesquisadora externa

ALINE DE FATIMA CHIARADIA VALADAO – Discente (PPGCL-Univás)

ANA EUGENIA NUNES DE ANDRADE – Pesquisadora externa (PPGCL-Univás)

ANTONIO CARLOS LUMINATTO – Discente (PPGCL-Univás)

GUILHERME MARQUES PEREIRA – Discente (PPGCL-Univás)

MARCOS FUZATTO FERREIRA – Discente (PPGCL-Univás)

PABLO LUIZ MARTINS – Discente (PPGCL-Univás)

WEDENCLEY ALVES SANTANA – Pesquisador externo

 

Projeto(s) Coordenado(s) pela Profa. Dra. Juciele Pereira Dias

 

TÍTULO

LINGUAGEM, CONHECIMENTO E TECNOLOGIA: TENSÕES E DESLOCAMENTOS

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Linguagem, conhecimento e suas tecnologias

VIGÊNCIA

Desde 2016

 

DESCRIÇÃO

Este projeto tem como objetivo estudar as relações entre linguagem, conhecimento e tecnologia, as quais têm sido objeto de muitas e variadas pesquisas científicas, tanto no campo dos estudos da linguagem, como em outros campos. A proposta dessa pesquisa se volta para a compreensão de como são produzidas a evidências de sentido sobre as necessidades de apropriação das tecnologias do contemporâneo para as mais diversas atividades (burocráticas, didáticas, acadêmicas, cotidianas, etc.), bem como enquanto possível origem de problemas ou soluções que advêm dessas demandas para os sujeitos em diferentes espaços na sociedade (em casa, no trabalho, na escola, na rua, etc.). Neste espaço de investigação, tomamos como fundamental o papel e o poder fundador da linguagem (ORLANDI, 1998; FERREIRA, 2015) nos modos como os sentidos de tecnologia, produzidos no campo das ciências da linguagem, se inscrevem nos processos de produção dos conhecimentos historicamente já determinados por outros campos do saber (PÊCHEUX, 1981). Da mesma maneira, buscamos compreender os efeitos das revoluções tecnolinguísticas da escrita, da gramatização das línguas do mundo e da mecanização da linguagem (AUROUX, 1992, 1998; DIAS, 2016), bem como a análise de discursividades que tocam a questão da cibernética e da natureza da linguagem (LACAN, 1955) nos modos de constituição do sujeito e suas relações sociais no contemporâneo. Essa proposta advém do projeto “Relações (de sentidos) entre linguagem, conhecimento e tecnologia”, coordenado por Ana Cláudia Fernandes Ferreira (UNICAMP/IEL), pela UNIVÁS, no período de setembro de 2015 a setembro de 2016. Inscrito na linha de pesquisa "Linguagem, conhecimento e suas tecnologias", a partir de outubro de 2016 o projeto foi atualizado e passou a ser desenvolvido sob a coordenação de Juciele Pereira Dias. Esta pesquisa está fundamentada nos pressupostos teórico-metodológicos da Análise de Discurso de linha francesa em relação com áreas afins como a História das Ideias Linguísticas e a Psicanálise.

CONTATO

jucieledias@gmail.com

 

PARTIPANTES

ANA CLÁUDIA FERNANDES FERREIRA – Docente externo (IEL-UNICAMP)
ANGELA REGINA PINTO – Discente (PPGCL-Univás)   
CARLA BARBOSA MOREIRA – Docente externo (CEFET-MG)

CARLOS BARROSO DE OLIVEIRA JUNIOR - Pesquisador externo
CAROLINA DE PAULA MACHADO – Docente externo (UFSCar)
CIDARLEY GRECCO FERNANDES COELHO – Discente externo (IEL-UNICAMP)
ELCIO ALOISIO FRAGOSO – Pesquisador externo
FLAVIA AZEVEDO DA SILVA – Discente (Graduação/Univás)
GUILHERME BERALDO DE ANDRADE – Discente (PPGCL-Univás)   

JULIO CESAR MARTINS SANTOS – Discente (Graduação/Univás)

LUARA ELISA SIMOES OLIVEIRA – Discente (Graduação/Univás)

LUIZ ROBERTO SILVA – Pesquisador externo
MAURÍCIO BECK – Docente externo (UESC)

NATALIA RODRIGUES SILVA – Discente (PPGCL-Univás)  
PHELLIPE MARCEL DA SILVA ESTEVES – Docente externo (UERJ)

TAMYRES CECILIA DA SILVA – Discente (PPGCL-Univás)  
TATIANA BARBOSA SOUSA – Discente (PPGCL-Univás)   
VALESSA MESQUITA OLIVEIRA VALERIANO – Discente (PPGCL-Univás)

 

Projeto(s) Coordenado(s) pela Profa. Dra. Juliana de Castro Santana

 

TÍTULO

DISCURSO E PSICANÁLISE: A-VERSÃO DO SENTIDO (FASE II)

Convênio de Cooperação com o LABEURB-UNICAMP

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2017

DESCRIÇÃO

O presente convênio de cooperação científica e cultural entre o LABEURB/UNICAMP e o PPGCL/UNIVÁS, em sua fase II, reúne e congrega pesquisadores interessados em estudar e compreender questões da subjetividade na contemporaneidade, sem perder de vista a relação entre linguagem e sociedade, inconsciente e ideologia. O que une instituições distintas e pesquisadores diversos é o desejo de constituição de um grupo de trabalho e de pesquisa voltado para questões epistemológicas, teórico analíticas,sociais e clínicas, a partir da (des)articulação entre os postulados da AD e da Psicanálise que deem conta de lançar luz sobre os processos de subjetivação e de significação que se constituem na atualidade. Em sua primeira fase, este convênio possibilitou o desenvolvimento de significativas atividades acadêmico científicas,como publicação de livro e organização de jornadas internacionais. No momento, a segunda fase do projeto está em tramitação na UNICAMP.

 

CONTATO

judu77@hotmail.com

 

PARTIPANTES

MARCOS AURÉLIO BARBAI – Coordenador do Projeto junto ao LABEURB-UNICAMP
ALLAN STROTTMANN KERN – Pesquisador externo (IEL-UNICAMP
)
CAROLINA MARIA RODRÍGUEZ ZUCCOLILLO – Docente externo (LABEURB-UNICAMP) 
CAROLINA P. FEDATTO – Pesquisadora Externa
CLAUDIA REGINA CASTELLANOS PFEIFFER – Docente externo (LABEURB-UNICAMP) 
CLÁUDIO CORTÊS PAIVA – Discente (PPGCL-Univás)
CRISTIANE PEREIRA DIAS – Docente externo (LABEURB-UNICAMP) 
EDMARA BARRA DOS SANTOS – Discente (Graduação-Univás)

ENI DE LOURDES PUCCINELLI ORLANDI – Docente (PPGCL-Univás)
ÉRIKA LOUREIRO BORBA – Discente (PPGCL-Univás)
FERNANDO HARTMANN – Docente externo (FURG) 
FLÁVIO MARCELO DE CARVALHO SILVA – Discente (PPGCL-Univás)

JUCIELE PEREIRA DIAS – Docente (PPGCL-Univás)
LAURO JOSÉ SIQUEIRA BALDINI – Docente externo (IEL-UNICAMP)

LAZARO BARRETO OLIVEIRA – Discente (Graduação-Univás)

LUCIANA NOGUEIRA – Docente (PPGCL-Univás)
MARIANA SOUSA SILVA RIOS – Discente (PPGCL-Univás)

PAULA CHIARETTI – Docente (PPGCL-Univás)

RICARDO TADEU DE SOUZA – Discente (PPGCL-Univás)

SIMONE CATARINA SILVA – Discente (PPGCL-Univás)

WAGNER ERNESTO JONAS FRANCO – Pesquisador Externo

TÍTULO

A (NÃO) INSERÇÃO EM UMA LÍNGUA ESTRANGEIRA: QUESTÕES IDENTITÁRIAS E DE SUBJETIVAÇÃO

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Língua e Ensino

VIGÊNCIA

Desde 2017

 

DESCRIÇÃO

Embora grande parte dos estudantes que se propõem a aprender a Língua Inglesa (LI) considerada como língua franca, global ou dos negócios afirmem, de forma unânime, que a LI é essencial para a inserção no mercado de trabalho e para proporcionar a ascensão social, são poucos os que de fato se engajam no trabalho simbólico com a língua inglesa e que se beneficiam das oportunidades que, ao menos imaginariamente, esta língua proporcionaria. Parece-nos que a identificação à formação discursiva que domina o sujeito de linguagem, atribuindo sentidos ao discurso que prega a necessidade de se aprender a LI, não é suficiente para mobilizar e garantir o processo de ensino-aprendizagem desta língua, tampouco para inscrevê-la no corpo do sujeito-aluno, passando a constituí-lo. Ancorados em uma perspectiva discursiva que leva em conta o equívoco e a contradição inerentes ao sujeito e à linguagem, buscaremos compreender como o sujeito-aluno, sobretudo os de classes sociais menos favorecidas, se inscrevem e se subjetivam a partir da relação que estabelecem com a língua inglesa, tendo em vista que os processos de identificação e de subjetivação se dão nas/pelas línguas. Em suma, observaremos o modo com a língua estrangeira acontece no sujeito-aluno, deixando marcas em sua subjetividade e produzindo efeitos em suas práticas discursivo-sociais. Como material de pesquisa serão analisados recortes discursivos diversos, proferidos no espaço escolar, que deem conta de lançar luz sobre a temática aqui proposta, bem como de impactar o processo de ensino-aprendizagem de língua estrangeira. A presente pesquisa se insere no grupo de pesquisa interinstitucional, coordenado pela Profa. Dra. Maria José Rodrigues Faria Coracini, intitulado "Vozes (in)fames: exclusão e resistência", que, por sua vez, está vinculado à Rede Latino-Americana de Análise de Discurso da Pobreza (REDLAD).

 

CONTATO

judu77@hotmail.com

 

PARTIPANTES

AMANDA BICUDO  Discente (PPGCL-Univás)

ANTONIO CARLOS LUMINATTO  Discente (PPGCL-Univás)

JOSIANE PEREIRA FONSECA CHINÁGLIA – Discente egresso (PPGCL-Univás)
JULIANO DA SILVA LIMA – Discente egresso (PPGCL-Univás)

WAGNER JONAS FRANCO – Discente egresso (PPGCL-Univás)

 

Projeto(s) Coordenado(s) pela Profa. Dra. Luciana Nogueira

 

TÍTULO

O DISCURSO DE GESTÃO EM DIFERENTES ESPAÇOS: A CONSTITUIÇÃO DO SUJEITO AUTOEMPREENDEDOR

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2016

 

DESCRIÇÃO

Neste projeto procuramos analisar os discursos de gestão na contemporaneidade, em diferentes espaços, a saber: a empresa, a fábrica, a escola, a universidade, etc. A partir da análise e compreensão de seu funcionamento, nos concentramos no estudo da constituição do sujeito autoempreendedor, conforme estamos definindo, a partir de uma análise discursiva da constituição do sujeito. Esta é a questão teórica central que guia os trabalhos dos pesquisadores desse projeto. A racionalização das relações de trabalho acadêmicas, por exemplo, a questão da “produção” no mundo da educação, o discurso das relações de trabalho, a constituição de um sujeito autoempreendedor, as políticas de funcionamento das instituições e o que com isso tem aparecido como o funcionamento de uma língua de algodão que tem um funcionamento paradoxal – ao mesmo tempo em que se tem um esvaziamento de sentidos, se tem uma saturação de sentidos - são temas de pesquisa do projeto. Tratamos de analisar um efeito ideológico, evidenciado pelo discurso, em que se tem cada vez mais a gestão e cada vez menos o político, no lugar que lhe seria próprio.Nesse sentido, buscamos apontar para toda uma rede de relações que têm o pressuposto da capacidade revestida de competência afetando a sociedade atual e regulando certos sentidos do social. Participam deste projeto docentes e discentes da Universidade do Vale do Sapucaí (Univás), além de membros externos a esta instituição.

 

CONTATO

lulunog@yahoo.com.br

 

PARTIPANTES

ALINE HELOISA SILVA VILLELA – Discente (PPGCL-Univás)

ÁQUILA EDIANI ROMA – Discente (Graduação-Univás)
BRUNA GONÇALVES MACHADO – Discente egresso (PPGCL-Univás)

CAROLINA DO PRADO FRANCO – Discente egresso (PPGCL-Univás)
GUILHERME ADORNO DE OLIVEIRA – Pós-Doutorando (PPGCL-Univás)

FABIO LUIZ DE CARVALHO – Discente (PPGCL-Univás)
HELSON FLÁVIO DA SILVA SOBRINHO – Docente externo (UFAL)

LUIS DANIEL PITTINI STRUMIELLO -– Discente (PPGCL-Univás)
MARIA ISABEL BRAGA SOUZA – Discente egresso (PPGCL-Univás)

RAISSA RODRIGUES DE CARVALHO – Discente (Graduação-Univás)

SOLANGE CRISTINA EUZEBIO – Discente (Graduação-Univás)

TAMYRES CECILIA DA SILVA – Discente (PPGCL-Univás)

Projeto(s) Coordenado(s) pela Profa. Dra. Luiza Katia Andrade Castello Branco

 

TÍTULO

INOVAR PARA (NÃO) MUDAR: TECNOLOGIA; CIÊNCIA; EDUCAÇÃO; POLÍTICAS PÚBLICAS – FASE II

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2018

 

DESCRIÇÃO

Podemos dizer que, hoje, o discurso da inovação – também uma política pública –, em seus efeitos, interpela o sujeito significando-o como aquele que tem de estar se (re)inovando no tempo/no espaço da inovação tecnológica, administrativa, jurídica, científica, educacional, urbana, social. Para estar no"mundo da inovação" é necessário se fazer um sujeito empreendedor, sustentável, inovador ou 'consumir' de alguma forma a inovação para se tornar visível, 'incluível', sujeito de direitos e deveres, enfim, para significar-se e ser significado como um cidadão nesse mundo globalizado. Com esse projeto, buscamos compreender o modo como dizeres sobre tecnologia; ciência; educação; políticas públicas, a partir do discurso institucional, do discurso das mídias, do discurso teórico-científico, são produzidos de forma coordenada com o discurso sobre o "novo" e como essas discursividades se atravessam e nos assujeitam(para ser sujeito de, o indivíduo, afetado pelo simbólico, está sujeito à ideologia – interpelado por ela –,fazendo funcionar o imaginário que o liga às condições reais de existência – "assujeitamento” – Orlandi,2015). Nessa segunda fase do projeto, buscamos, assim, compreender temas específicos como: a discursividade sobre/de inovação/ educação/ sustentabilidade produzida pelas organizações internacionais– inovação sustentável nos currículos; em sala de aula; na formação de professores – que obriga, pela criação de políticas públicas, à submissão dos espaços nacionais à globalização da educação em nome de programas impostos pelos espaços dessas mesmas organizações; a forma sujeito do capitalismo inovador empreendedor que se institui e se constitui na ciência, em sua produção e circulação – buscando compreender aí as políticas públicas científicas (fast / slow science como efeitos do fazer científico atual) e a divisão social do trabalho em ciência no Brasil e no mundo (o modelo da fragmentação no século XX – o fazer da ciência e da tecnologia submetido a interesses econômicos e militares). Não esquecendo de refletir sobre o discurso de divulgação científica (considerando a coordenação ciência e tecnologia e inovação como um pré-construído) e também sobre as línguas e sua hierarquização científica (o aparelho de línguas – o inglês como língua da ciência – a submissão da ciência à globalização linguística – a força da política monolíngue –monolinguismo como filosofia e prática linguageira constituindo o modo como os sujeitos/ os espaços/ as línguas significam e são significados pela discursividade da inovação-sustentabilidade). Essa internacionalização não é sem a fragmentação, a divisão (que aponta para isolamento/desconhecimento). Conforme Pêcheux, o "divórcio entre as leituras do 'literário' e do 'científico', ainda hoje, inscreve essa divisão entre ciências naturais e exatas e ciências humanas e da linguagem”. Poder pensar a relação forma histórica sujeito/espaço/língua/formação social e seu funcionamento hoje a partir da compreensão do processo de produção de sentidos pelas políticas públicas que significa em seus dizeres essa relação em determinada direção é também poder pensar o modo como essa relação pode deslizar, ou seja, podem-se produzir aí posições de resistência, posições de transformação, posições de reprodução nessa relação linguagem e sociedade.

 

CONTATO

luizakcb@gmail.com

 

PARTIPANTES

ALAN MIRANDA SILVA – Discente (PPGCL-Univás)

BETHANIA SAMPAIO CORREA MARIANI – Pesquisadora Externa
BRUNO CESAR CASTELLO ANANIAS– Discente (PPGCL-Univás)

JOELMA PEREIRA DE FARIA – Docente (PPGCL-Univás)

JOSE SIMAO DA SILVA SOBRINHO – Pesquisador Externo

 

Projeto(s) Coordenado(s) pela Profa. Dra. Maria Onice Payer

 

TÍTULO

MEMÓRIA DISCURSIVA, IDENTIFICAÇÕES E ENSINO DE LÍNGUA - FASE II

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Língua e Ensino

VIGÊNCIA

Desde 2014

 

DESCRIÇÃO

O projeto vincula-se ao Grupo de Pesquisa do CNPq Práticas de Linguagem, Memória e Processos de Subjetivação. Tem por objeto as relações entre os processos de identificação e as línguas no ensino. Analisa materiais de linguagem provenientes das práticas em que a língua é posta diretamente em questão,no ensino.

 

CONTATO

onicepayer@terra.com.br

 

PARTIPANTES

DAIANNA BRASILIO DE ARAUJO POMPEU – Discente (PPGCL-Univás)

DANIELA CRISTINA DE OLIVEIRA ANASTACIO – Discente (PPGCL-Univás)

JOELMA PEREIRA – Docente (PPGCL_Univás)

MARIA NICOLAU – Discente (PPGCL-Univás)

MARIA TERESA CELADA – Docente externo (USP)

TÍTULO

PROCESSOS DE SUBJETIVAÇÃO, IMIGRAÇÃO E LINGUAGEM - SÉCULOS XIX E XXI

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2017

 

DESCRIÇÃO

Projeto Individual de Pesquisa (PQ2) cadastrado no CNPq. Pesquisa sobre processos de subjetivação produzidos na imigração, contrastando dois grandes fluxos imigratórios: o da Europa(sobretudo Itália) para a América, no Século XIX, e da África e Ásia para a Europa (sobretudo Itália) no século XXI. O objeto de estudo é a imigração como processo subjetivo envolto em certas condições de produção na história.

 

CONTATO

onicepayer@terra.com.br

 

Projeto(s) Coordenado(s) pela Profa. Dra. Paula Chiaretti

 

TÍTULO

O PROJETO DE UMA IDENTIDADE NACIONAL: UM ESTUDO A PARTIR DA LITERATURA E DA IMPRENSA

Convênio de Cooperação entre a Universidad de Valparaíso (Chile) e a Universidade do Vale do Sapucaí

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2014

 

DESCRIÇÃO

O objetivo deste projeto de pesquisa, inscrito no âmbito do convênio firmado entre o Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem da Universidade do Vale do Sapucaí, no Brasil, e a Universidad de Valparaíso, Chile, é analisar discursos que produzam sentidos de brasileiro como uma maneira distinta de ser e estar no mundo em suas determinações simbólicas e históricas. Por meio da análise de discurso ou da análise textual, cada investigador implicado no projeto deverá eleger um material de análise que permita abordar os aspectos relacionados a uma tentativa de construção da identidade ou raça nacional. Enquanto os investigadores da Universidad de Valparaíso visam investigar e analisar a obra Raza Chilena de Nicolás Palacios, os investigadores da Universidade do Vale do Sapucaí farão análises de obras como Macunaíma, de Mario de Andrade, Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa, bem como de artigos da imprensa que tratam da "pacificação" (indígena e do tráfico de drogas presente nas favelas cariocas), ou discursos separatistas dos estados de Rio Grande do Sul e São Paulo, bem como outros materiais que permitam alcançar tal objetivo.

 

CONTATO

chiaretti.paula@gmail.com

 

PARTIPANTES

ATILIO ATILIO CATOSSO SALLES – Discente (PPGCL-Univás)

AURECI COSTA – Pós-Doutoranda (PPGCL-Univás)
DIEGO LUIS SILVA – Discente egresso (PPGCL-Univás)

EDUARDO ALVES RODRIGUES – Docente (PPGCL-Univás)

ERIKA KRESS – Discente (PPGCL-Univás)
JOEL BOMBARDELLI – Discente (PPGCL-Univás)

PABLO LUIS MARTINS – Discente (PPGCL-Univás)

TELMA DOMINGUES DA SILVA – Docente (PPGCL-Univás)

THIAGO DE SÃO JOSÉ GUIMARÃES – Pesquisador externo
WAGNER ERNESTO JONAS FRANCO – Discente egresso (PPGCL-Univás)

TÍTULO

CORPO E SUJEITO EM DISCURSOS DA SAÚDE

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Linguagem, conhecimento e suas tecnologias

VIGÊNCIA

Desde 2016

 

DESCRIÇÃO

A subjetividade, cada vez menos referenciada a projetos coletivos e tradicionais, passaria prescindir do consenso na sua constituição. Diversas práticas discursivas colonizam os sulcos deixados pela ruptura com as grandes narrativas (ligadas ao Estado, ao sangue, à raça etc.) que em outros momentos ofereciam os sentidos sobre o indivíduo e o social. Essas práticas discursivas atuais se caracterizam pela fragmentação e pela mobilidade, frequentemente prescindindo de uma referência comum. Os discursos ligados à saúde, no entanto, tendem a apresentar certa hegemonia, fazendo apelo e significando um último lugar destinado à subjetividade, o corpo. De certa maneira, as ciências biológicas, em especial as médicas, encontram, no esvaziamento dos ideais normativos anteriores, um terreno fértil para construção de um discurso hegemônico, a partir do qual o sujeito, desarrimado, consegue enganchar sua identidade – o que é/o que deve ser. Vale ressaltar que há ainda, nesse lugar de constituição de sentidos sobre a subjetividade, a convergências de dois outros campos: a tecnologia e o mercado, que em conjunto com a ciência promovem práticas sociais e discursivas que condicionam a subjetividade, oferecendo-lhe as coordenadas para sua construção. Considerando, portanto, o valor discurso da saúde na determinação da subjetividade, o presente projeto tem como objetivo refletir sobre diferentes práticas discursivas referentes a temas tais como: saúde mental (diagnóstico e medicalização), procedimentos e modificação da estrutura e do funcionamento do corpo (cirurgias plásticas, implantes, mapeamento e edição de genoma humano); nutrição; e, políticas públicas em saúde coletiva.

 

CONTATO

chiaretti.paula@gmail.com

 

PARTIPANTES

CLAUDIO CÔRTES PAIVA – Discente (PPGCL-Univás)
ERIKA KRESS – Discente (PPGCL-Univás)
MARIA BEATRIZ CARROZZA – Discente externo (UNIVÁS, Graduação)
SIMONE RODRIGUES – Discente (PPGCL-Univás)

 

Projeto(s) Coordenado(s) pela Profa. Dra. Renata C. Bianchi de Barros

 

TÍTULO

TECNOLOGIAS DE LINGUAGEM E EXISTÊNCIA: A ESCRITA DE SI NA MATERIALIDADE DIGITAL

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Linguagem, conhecimento e suas tecnologias

VIGÊNCIA

Desde 2015

DESCRIÇÃO

Tendo como discurso fundador Michel Pêcheux e a especificidade da sua articulação o entremeio com o materialismo histórico, a linguística e a psicanálise, a Análise do Discurso possibilita o confronto de importantes noções para a compreensão do funcionamento dos sentidos em jogo para o processo de subjetivação, tomado por nós, nesta pesquisa, como um importante elemento para o qual devemos nos debruçar: como todo processo, este, o de subjetivar(-se) é impreciso e remoto – sem início e sem fim. A partir disso, considerando que a prática de linguagem com e pela escrita é um processo essencialmente social, passível de ser observado em comunidades cujo valor dado à letra conduz o sujeito à diferentes constituições e lugares enunciativos, tomamos os processos de escrita no espaço digital como objeto desta pesquisa, voltando-nos para as práticas de escrita em aplicativos que permitem a produção de narrativas. Compreendemos que problematizar os processos de escrita que se produzem como materialidades digitais provocam, em si mesmos, outros desdobramentos pertinentes. Por se ocupar de estudar o discurso na relação entre linguagem e suas tecnologias produzindo diferentes efeitos de sentido na relação do sujeito com o conhecimento e a sociedade, vislumbramos alguns apontamentos específicos a partir do nosso objetivo geral: as práticas de escrita são afetadas pelos processos sociais que, inclusive, são constituídos por aquilo que se produz em termos de conhecimento humano/humanizatório, naturais e tecnológicos, entre outros aspectos. A partir disso, pretendemos empreender um percurso de pesquisa que objetiva, especificamente, (1) compreender os modos como a noção de tecnologia vem sendo articulada em práticas de escrita; e (2) de que modo as práticas de escrita, que se utilizam de ferramentas/instrumentos compreendidos como tecnologias, afetam e/ou mobilizam os processos de constituição de sentidos – porque nossa posição analítica funda-se na compreensão de que língua(gem) e sujeito são indissociáveis, ou seja, estão em permanente relação de constituição – e da constituição do sujeito afetado pela elaboração de si pela linguagem e suas formas.

 

CONTATO

renatabiabarros@gmail.com

 

PARTIPANTES

ANA CAROLINA SALES OLIVEIRA – Pesquisadora externa

AUGUSTO DA SILVA FERREIRA – Discente (Graduação-Univás)
BRENA PEREIRA BRANDAO – Discente (Graduação-Univás)

DIEGO HENRIQUE PEREIRA – Discente (PPGCL-Univás)
FERNANDO CESAR PAULINO PEREIRA - Docente externo (UFG-Catalão)
MARIA APARECIDA DA DALT VASCONCELOS – Discente egresso (PPGCL-Univás)
PATRICIA DE CAMPOS LOPES – Discente egresso (PPGCL-Univás)
SALETE FERREIRA RIBEIRO – Discente (Graduação-Univás)
SOLANGE CHRISTINA CARNEIRO RODRIGUEZ – Discente (PPGCL-Univás)

TÍTULO

ESCRITA NA MATERIALIDADE DIGITAL: A NARRATIVA EM BLOGS (2ª FASE)

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Análise de Discurso

VIGÊNCIA

Desde 2018

 

DESCRIÇÃO

O presente projeto de pesquisa propõe a continuação de pesquisas desenvolvidas ao longo do ano de 2017, objetivando compreender os processos de produção de sentido em narrativas em blogs pela escrita. Nossa posição analítica funda-se na compreensão de que língua(gem) e sujeito são indissociáveis, ouseja, estão em permanente relação de constituição, e que a constituição do sujeito é afetada pela elaboração de si, pela linguagem e suas formas. Fundamentada teórica e metodologicamente na Análise do Discurso, o corpus dessa pesquisa será construído experimentalmente. A elaboração e a execução de projetos de pesquisa que se voltam à compreensão dos processos de produção de sentido afetados pela materialidade digital se justificam pela necessidade de compreender que, em uma sociedade como a do século XXI, nadapode ser pensando sem que a tecnologia seja tomada como ponto de articulação.

 

CONTATO

renatabiabarros@gmail.com

 

PARTIPANTES
BRENA PEREIRA BRANDAO – Discente externo (UNIVÁS, Graduação)

 

Projeto(s) Coordenado(s) pela Profa. Dra. Telma Domingues da Silva

TÍTULO

LINGUAGEM E SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA: ESCRITA, ARQUIVOS E OBJETOS SIMBÓLICOS

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Linguagem e Sociedade

 

LINHA DE PESQUISA

Linguagem, conhecimento e suas tecnologias

VIGÊNCIA

Desde 2018

 

DESCRIÇÃO

Este projeto é uma continuação do projeto "Arte, escrita e sujeito: arquivos, práticas e tecnologias de linguagem na sociedade contemporânea", que desenvolvemos entre 2016 e 2017. Deste projeto, ainda nos interessa a discussão sobre a escrita, como movimento do sujeito, considerando agora a produção de objetos simbólicos na sociedade, significada enquanto espaço urbano, em que a tecnologia está presente, mas, mais ainda, em evidência, marcando ideologicamente o contemporâneo pelos sentidos do digital, de acesso, mobilidade etc. Nesse espaço urbano, portanto, espaço sempre social e político,destacam-se as tecnologias de linguagem, que participam de um processo de significação/ espacialização no contexto urbano. A esse respeito, isto é, sobre o espaço urbano compreendido em uma perspectiva de linguagem, diz Orlandi que “trabalhamos na convergência de dois movimentos do processo de significação:o da espacialização da linguagem na cidade e o da simbolização do espaço urbano” (2001). Desse modo, o presente projeto tem por objetivo geral abordar diferentes práticas de linguagem e a inscrição do sujeito no Simbólico, abordando práticas de escrita em diferentes materialidades (impresso/ digital; imagem fotográfica, eletrônica etc.), destacando-se o objeto artístico. Propõe-se a uma compreensão discursiva de objeto simbólico, enquanto “objeto que articula heterogeneamente as linguagens”. A partir desse objetivo amplo, situamos na noção discursiva de arquivo a possibilidade de uma ancoragem e de uma relação produtiva para uma compreensão das tecnologias de linguagem. Consideraremos nessa proposta que “Ler o arquivo hoje”, escrito em 1982, marca um percurso de Michel Pêcheux, relativamente à escrita de Análise Automática do Discurso (AAD 69), marca um momento em que o pesquisador não está mais procurando conceber um dispositivo de análise automática, mas justamente preocupado em que não tomemos os arquivos como “dados”. O início da Análise de Discurso parte de um questionamento em relação a “o que ler quer dizer”, a uma des-naturalização da leitura e a uma busca de um dispositivo teórico – não informático –para a leitura – tal é o contexto que abre um lugar teórico/ disciplinar para a Análise de Discurso. Trago o questionamento sobre a leitura no contexto da Análise de Discurso para explicitar a compreensão de “escrita” no presente projeto. Assim, observo que na Análise de Discurso, o texto não é compreendido como documento, mas como monumento. Desloca-se do lugar de documento em que este funciona nas disciplinas das Ciências Sociais: como documento, veríamos ilustrados no texto os sentidos constituídos em outro lugar; como monumento, a própria textualidade traz nela mesma sua historicidade (Orlandi, 2001).

 

CONTATO

telmadds@gmail.com

 

PARTIPANTES

CASSIO PAULO DE CASTRO – Discente (PPGCL-Univás) 
CLEIDE DONIZETE MOREIRA NUNES – Discente (PPGCL-Univás)
LÍDIA PEREIRA NORONHA – Discente (PPGCL-Univás)  
MARIA ISABEL BRAGA – Discente (PPGCL-Univás)

VALERIA REGINA AYRES MOTTA – Pesquisadora externa

MESTRADO E DOUTORADO

Programa de Pós-Graduação

em Ciências da Linguagem